>

Resenha #6: Coração de Tinta - Cornelia Funke


Meggie é uma garota de 12 anos que vive com seu pai, Mortimer (apelidado por ela de Mo), um restaurador de livros. A jovem é apaixonada por livros e sempre insistiu para que seu pai lesse para ela, mas o mesmo sempre recusou. Meggie não entendia o motivo até que um estranho surge na frente da sua casa e trás uma notícia que a leva a uma aventura.

Mo nunca leu para sua filha porque possui um dom: pode trazer seres e objetos dos livros para a realidade ao ler em voz alta. Porém, algo entra na história em troca do que saiu. E foi por causa desse dom que um acidente aconteceu ao ler o livro fictício "Coração de Tinta", mudando sua vida para sempre.
Alguns livros devem ser degustados, outros são devorados, apenas poucos são mastigados e digeridos totalmente."
Provavelmente você já sonhou conhecer seus personagens favoritos de livros, filmes etc. Coração de Tinta nos mostra que talvez isso possa não ser tão maravilhoso quanto imaginamos.

O livro se destaca e conquista não só por sua história, mas também por seus personagens, tão adoráveis e diferentes um do outro. A jovem Meggie possui um carisma incrível e não é difícil se identificar com ela em alguns pontos por sua bravura, curiosidade e bondade. Dedo Empoeirado possui uma forte personalidade, para ele não é justo ser tirado do seu mundo para um no qual não se encaixa, tudo o que pensa e mais deseja é voltar para o seu lar e reencontrar sua família, por causa de tal desejo é possível sentir compaixão pelo personagem e ainda se envolver no drama à medida que descobre sobre o seu destino. Também há Elinor, tia de Meggie obcecada por livros, tão amada e odiada ao mesmo tempo; do tipo coração de pedra, mas no fundo uma boa pessoa. E ainda o autor de “Coração de Tinta”, Fenoglio: com ele, Cornelia expressa o que um autor pode sentir por sua obra e a emoção de ver um personagem criado por ele mesmo de pé em sua frente, em carne e osso. Ainda há quem goste de Capricórnio, um ser cruel e cheio de maldade em seu coração tão escuro quanto a tinta que seu criador usou para escrever sua história. 

O modo como Funke narra é envolvente, faz com que você mergulhe na história e possa senti-la como se fosse real, sem exagerar ou deixar faltar qualquer detalhe. É por causa desse seu modo de narrar que a leitura flui facilmente sem deixar que se torne algo cansativo. O mundo do livro fictício “Coração de Tinta”, quando citado, também é encantador e faz você desejar visitá-lo. Cada detalhe torna a trama magnífica e surpreendente a cada página virada. Todas as reviravoltas e descobertas despertam cada vez mais a vontade de continuar a leitura e gostar cada vez mais dos personagens. A forma como os livros são valorizados também ganha destaque, alguns títulos conhecidos e respeitados são citados - como quando Meggie lê Peter Pan ou seu pai lê o Livro das Mil e Uma Noites. Há citações de obras famosas a cada início de capítulo, ao qual estão relacionadas de alguma forma (o que eu, particularmente, gostei muito).

Coração de Tinta é o primeiro de uma trilogia conhecida como Mundo de Tinta, composta também por Sangue de Tinta e Morte de Tinta.
É bom ter os próprios livros quando se está num lugar estranho."
Há uma adaptação cinematográfica protagonizada por Brendan Fraser que, apesar de ter suas diferenças em relação ao livro, vale a pena conferir!

Titulo: Coração de Tinta;
Titulo Original: Tintenherz;
Autor: Cornelia Funke;
Tradução: Sonali Bertuol;
Editora - Selo: Companhia das Letras - Seguinte;
Gêneros: Literatura juvenil, fantasia, aventura;
Série - Volume: Mundo de Tinta - 01;
Número de páginas: 456;
ISBN: 9788535907728;
Ano: 2006;
Adaptação cinematográfica: 2008.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »