>

Resenha #10: Extraordinário - R.J. Palacio


August “Auggie” Pullman é um garoto de 10 anos que nasceu com uma rara síndrome cuja sequela é uma grave deformidade facial, o que lhe fez passar por muitas cirurgias e ter várias complicações médicas. Até então, Auggie nunca frequentara o colégio, mas seus pais decidem que chegou a hora. E se para qualquer criança o primeiro dia na escola pode ser complicado e assustador, para alguém com um rosto diferente pode ser pior. Assim August tem a difícil tarefa de mostrar para seus colegas que é igual a qualquer outra criança por dentro.
Não precisamos dos olhos para amar, certo? Apenas sentimos dentro de nós."
Com uma simples narração em primeira pessoa, alternada entre Auggie e mais alguns personagens diretamente ligados ao jovem, Extraordinário apresenta uma encantadora história. Sem buscar apelo na comoção, mas mesmo assim comovendo o leitor, o livro conquista logo nas primeiras páginas. A escritora usa uma linguagem simples e que cabe muito bem aos narradores.

August é um menino educado, esperto, gentil, mas não é muito bem recebido por outras pessoas em locais públicos. Há sempre alguém para encará-lo com expressão de surpresa, curiosidade ou até mesmo espanto. Para alguém da sua idade, o pequeno consegue lidar bem com isso, mas não completamente. E é por isso que a ideia de frequentar um colégio o assusta. Algo interessante também são as referências ao mundo nerd, que farão alguns leitores se identificarem.

 Apesar da Beecher Prep parecer a escola ideal e o seu diretor, Senhor Buzanfa (sim, você não leu errado, este é o nome do diretor), ser alguém legal e atencioso, os alunos não recebem o Auggie com tanta normalidade. Seu rosto continua chamando atenção e afastando as pessoas dele. Alguns colegas passam a fazer brincadeiras de mal gosto, dando apelidos ofensivos ou ainda semelhante com “o toque do queijo” (do livro "Diário de um Banana"), onde Auggie é o queijo mofado que não pode ser tocado. Mesmo com esses problemas o garoto não se deixa abater! Quer ser ele mesmo, mostrar a maravilhosa criança que se esconde atrás daquele rosto desfigurado.

 Dividir a narração entre alguns personagens e mostrar diferentes pontos de vista foi muito bem pensado e colocado. Não temos apenas a vida do Auggie e o que ele enfrenta, mas como também afeta aqueles que estão diretamente ligados a ele. Entre os narradores temos Jack Will e Summer, primeiros a se aproximarem do Auggie no colégio; Jack é um garoto bastante carismático, do tipo que você deseja ter como amigo na vida real, já Summer é puro amor, de uma maturidade e visão incrível. Via, irmã mais velha do menino, mostra ser uma personagem extremamente bem trabalhada e é só quando ela narra que temos a chance de conhecê-la de verdade e descobrir seus próprios conflitos. Seus sentimentos são expostos de tal forma que facilmente podemos compreendê-la e/ou colocar-se em seu lugar. Outra personagem que chama muita atenção pelo que tem para mostrar é Miranda, amiga de Via.
Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.
 Extraordinário tem muito para ensinar, de forma surpreendente e simples. Mesmo para aqueles que dizem não ter preconceitos o sentimento e a forma de pensar ao finalizar a leitura passa a ser outra. Particularmente, ao ler o final, uma onda enorme de felicidade cresceu dentro de mim. É um livro com muito a ensinar, com muito para ser absorvido e aplicado na vida real. Para resumir, o título faz jus ao conteúdo.


Titulo: Extraordinário;
Titulo Original:Wonder;
Autora: R.J. Palacio;
Tradução: Rachel Agavino;
Editora: Intrínseca;
Gêneros: Literatura juvenil, drama;
Número de páginas: 320;
ISBN: 9788580575668;
Ano: 2013.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »