>

Resenha #16: Dias perfeitos - Raphael Montes


Dias perfeitos revela a história de um excêntrico estudante de medicina (Téo) que vive uma vida simples e entediante até conhecer Clarice. Eles trocam olhares, algumas palavras e...

Caso já tenha lido sobre esse livro, sabe que estamos falando de um romance policial e não de romances carregado de clichês melosos. Raphael Montes não escreveu uma história simplista, ele distorceu o amor puro em algo obsessivo e dominador, ponto forte de boa parte das histórias policiais com crimes passionais.

A construção dos personagens passa longe da superficialidade, na verdade, o foco narrativo adotado oferece ao leitor um certo entendimento profundo dos personagens principais. Téo, com sua mente analítica, manipuladora e egocêntrica; Clarice, uma garota alternativa, livre de amarras sociais cujo maior bem é sua liberdade.

Téo mantém uma rotina de estudos e um forte distanciamento social, sempre de casa para faculdade e da faculdade para casa. No laboratório de anatomia, ele tem uma amiga muito especial – Gertrudes – cujo único “porém” é o fato de ser um cadáver. As excentricidades de Téo não param por ai, ele não alimenta nenhum afeto por qualquer pessoa viva (e pergunto o que ele estava fazendo no curso de medicina). Sua mãe ficou paraplégica após um acidente de carro e o cuidado que sua condição requer de Téo parece sufocá-lo.
Ele não havia acreditado. Não supunha que fosse ser feliz um dia. Sentia-se fadado ao limbo, à monótona rotina, desprovida de momentos felizes ou tristes. Sua vida era apenas um vazio preenchida por tímidas emoções. Seguia bem assim”. (p. 15)
Logo de início, Téo decide ir a um churrasco de aniversário, por forte insistência de sua mãe. E em meio as chatices de sorrisos, músicas e pessoas se divertindo, alguém atrai sua atenção: Clarice. Ela aparece na vida dele, como uma luz que brilha e ofusca qualquer outro desejo ou pensamento, despertando nele um amor que marcará suas vidas para sempre. Mas Clarice é um quebra-cabeça, ela é livre como um pássaro, não se rendendo aos conceitos e aos limites morais da sociedade.

Téo torna-se obcecado por Clarice: quer conquista-la de qualquer maneira. Reunindo informações e após localizar onde estuda, onde mora, quem são seus amigos, com quem se relaciona, Téo decide seguir seus passos. Percebendo que ela não será uma presa fácil, ele elabora um plano para conquista-la. Um plano que cerceará a liberdade de Clarice, prendendo-a num chalé afastado da cidade e, principalmente, tornando-a refém em sua vida.

O que se segue é um enredo tenso, angustiante e perturbador no qual uma mente obsessiva usa de todos os artifícios para que seu objeto de fixação seja dominado e conquistado.

Em geral, a história é muito boa. A escrita de Raphael Montes é muito fluida e faz com que o leitor siga o caminho trilhado pelo autor, característica que admiro muito nesses livros de suspense. Como sou estudante de medicina, percebi algumas incoerências na criação de algumas cenas e na própria investigação do caso. Não são coisas graves e que para a maioria do público pode passar despercebido. O desfecho criado foi interessante, uma vez que a lógica foi bem construída ao longo da trama, no entanto, a forma que aconteceu foi bastante truncada. Ou melhor, o final deixou a impressão que Raphael queria esse desfecho a qualquer custo mesmo quando a tendência, e ele reforçava isso com alguns indícios, que seria diferente.

Enfim, é um livro que vale a pena ser lido. Raphael Montes está crescendo muito e acredito que tem muito ainda para publicar, suas ideias e escrita são fantásticas. Dias perfeitos foi o primeiro livro que li dele, e já virei fã!

Booktrailer:




Titulo: Dias perfeitos;
Autor: Raphael Montes;
Editora: Companhia das Letras;
Gêneros: Literatura Nacional, Romance Policial, Suspense e Terror;
Número de páginas: 278;
ISBN: 9788535924015;
Ano: 2014.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »