>

Resenha #19: Gelo Negro - Becca Fitzpatrick


Olá queridos, sou I.Ravena, a nova resenhista aqui do Books Access, e estou bem empolgada!!! Então, meu foco principal será os livros, mas vou estar postando algumas críticas de filmes e seriados, ou seja, vocês vão ouvir minha vozinha chata na cabeça de vocês (hahaha!).

Certo, então, minha resenha de hoje é de Gelo Negro, da amadíssima Becca Fitzpatrick (autora de Sussurro, tosses**Patch**). Gente, que livro legal, não esperava menos na Tia Becca, mas como sempre ela arrasou!

O livro narra a história de Britt Pfeiffer, uma garota de 17 anos bem normalzinha mesmo, sabe, meio fresca, bonita e legal. Britt colocou na cabeça que ao invés de curtir suas férias numa praia como a maioria das outras pessoas, queria testar seus limites numa aventura para fazer trilha na Cordilheira Teton, que tem um longo histórico de assassinatos misteriosos, mas quem liga né?! Tudo bem que parte da sua motivação é seu ex-namorado, Calvin, mas a coisa vira meio que um desafio pra si. Prova que ela pode se cuidar sozinha e se superar. Então é isso ai, Britt, junto com sua amiga da onça, Korbie se dirigem para um chalé no auto da montanha, mas antes mesmo de chegarem lá elas são pegas por uma nevasca e ficam presas no carro e sem muita opção elas são obrigadas a buscarem refúgio em outro lugar. Acontece que elas encontram uma cabana e lá dois caras bem sinistros, um totalmente simpático e interessado em ajudar, e o outro, nem tanto. A questão é que Britt conheceu o cara mal-humorado, Mason, em circunstâncias melhores, mas então percebe que não o conhece de verdade, porque ele e seu amigo acabam mostrando que ajudá-las realmente nunca foi a intenção deles e logo, fugir se torna impossível.
Pisquei para afastar as lágrimas, fungando e tentando me recompor. Eu precisava ser esperta. Minha melhor ferramenta agora era meu cérebro. Tinha que aproveitar aquele tempo para avaliar a minha situação."
Ok, isso foi o mais no spoilers que eu pude fazer, por que tudo gira em torno de segredos e dúvidas, o livro foi feito de tal jeito que você desconfia de todo mundo, todos os personagens tem uma coisinha de mocinho e vilão.

Britt é uma sobrevivente, sério, ela não é nada incrível em nada, não sabe lutar nem atirar, nem é incrivelmente inteligente ou audaciosa, tal como a maioria de nós. Então, ela simplesmente usa o que tem pra sobreviver: mente, chora, planeja e erra. Acho que gostei dela por isso, porque em algumas histórias as coisas são tão... convenientes, sabe?! A garota sempre tem uma habilidade que vai ser útil e salvar a vida dela. Como se ela soubesse que iria passar por aquilo e você fica tipo: “Eu preciso aprender a atirar arco e flechas, vai que sou jogada numa arena da morte?!”. Nada é conveniente pra Britt e isso é a realidade, mas nem por isso temos que desistir. Então, depois de algumas situações percebemos como Britt é forte e corajosa, além de esperta. Uma das poucas coisas que me irritaram, foram os diversos flashbacks que ela tinha sobre o ex dela quando estava na sofrência, tipo, muitas vezes, mas a coisa é que os flashbacks são importantes. É uma parte do quebra-cabeça que você só percebe no final e que depois quando lê tudo de novo fica tipo assim: “Dã!!”
Eu não sabia por que ele estava me ajudando. Mas fazia sentido que esperasse algum tipo de retribuição. Até aquele momento, eu evitara qualquer especulação séria sobre o que teria que fazer para sobreviver naquele lugar, mas eu ia conseguir sair. Não morreria nas montanhas, não mesmo. Faria o que fosse preciso."
Também temos Mason, o perigoso. Ele não é exatamente o mocinho, com certeza ele é o epicentro dos segredos e das dúvidas e desvenda-lo é quase impossível porque, honestamente, ele não ajuda. Tudo o que ele diz ou faz só me deixou mais confusa, mas fazer o que?! Tenho uma queda por caras perigosos, misteriosos e gatos (tosses***Patch***).

Dá pra perceber que romance não é o foco do livro, não é?! Na verdade tudo gira em todo dos perigos na montanha e no fato de não pode confiar em ninguém, mas o final... o final foi perfeito, porque depois do livro todo sendo sobre frio de congelar os miolos, caras psicopatas e muita tensão, um final totalmente paz e amor é mais que merecido, é desejado.
Esfreguei os olhos para secá-los.

— Se soubesse que as coisas acabariam assim, eu teria treinado mais. Eu teria aprendido a cuidar de mim mesma. Mas acho que essa é a questão, não é mesmo? Você nunca sabe o que terá que enfrentar, então é melhor estar preparado."
Titulo: Gelo Negro;
Titulo original: Black Ice;
Autora: Becca Fitzpatrick;
Tradutora: Viviane Diniz;
Editora: Intrínseca;
Gêneros: Literatura Estrangeira, Romance, Suspense e Terror;
Número de páginas: 304;
ISBN: 9788580577228;
Ano: 2015.
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »