>

CCXP 2016: Rede Globo mostra muitas novidades da grade para o próximo ano


O segundo dia de Comic Con continuou com a Rede Globo trazendo vários conteúdos exclusivos sobre suas próximas produções no Auditório Cinemark. Marcelo Adnet, que foi o responsável por apresentar as novidades da emissora, abriu o painel com imitações de Tonho da Lua, Agnaldo Timotio e também do mais novo prefeito de São Paulo, João Dória.
Eu queria dizer que este evento é um sucesso, mas só é um sucesso porque é feito pela iniciativa privada, se tivesse dinheiro público, não daria certo”, disse Adnet imitando Dória.
Para começar foram chamados ao palco os primeiros convidados: Tony Ramos, Mônica Iozzi e o roteirista Alexandre Machado que apresentaram a "Vade Retro". A série, que foi escrita em parceria com Fernanda Young e é dirigida por Mauro Mendonça Filho, tem estreia marcada para abril do ano que vem e acompanha a saga do Diabo (Tony Ramos), representado como um grande empreendedor capitalista e quase líder religioso, em busca de uma advogada (Mônica Iozzi) para ajudá-lo em uma difícil missão.
Imaginem o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, ano que vem, assistindo a essa série. Vai ser uma loucura”, debochou Adnet. 
Tony Ramos dará vida a Abel Zebul, que vai tornar a vida dos outros personagens um inferno com seu caráter duvidoso. Quando perguntado por Adnet sobre o método de preparação do ator, Tony fala que não se inspirou em ninguém real, e que não fez laboratório (método de preparação usado por muitos atores) porque não é engenheiro químico. 
Meu personagem é o diabo que pode estar dentro de cada ser humano. Nós não vamos tocar no assunto religiosamente. É o diabo que está por aí, que faz com que o ser humano tome atitudes demoníacas”, explicou. 
É a primeira vez que Mônica da vida a uma protagonista. Ela contou que a carreira dela segue caminhos muito estranhos e que as vezes não consegue acreditar no que está acontecendo. A atriz falou o quão diferente é uma hora estar com o Otaviano Costa na bancada do "Vídeo show" e outra estar contracenando com o Tony Ramos. Iozzi ainda alfinetou o presidente quando estava falando da trama:
O personagem dele tem uma relação com o universo demoníaco, mas trata do demônio que está em cada de nós. Em algumas pessoas mais que em outras. Um beijo, Michel Temer!”, soltou a atriz ao final.
Outra atração que a emissora vai trazer é a série "Carcereiros", inspirada no livro homônimo de Drauzio Varella. A história mistura realidade com ficção e relembra os anos vividos dentro do presídio do Carandiru pelos olhos dos agentes penitenciárias. Parte das filmagens têm participações ilustres como de Caio Blat, Toni Tornado, Rodrigo Lombardi, Gabriel Leone, por exemplo. Mas o criador Fernando Bonassi e o diretor José Eduardo Belmont complementaram com imagens documentais da época.

Mais uma série apresentada no painel foi "Filhos da Pátria", que veio de uma ideia de Bruno Mazzeo e conta a história do Brasil. Não é por acaso que será lançada um dia após o feriado da Independência do país: o enredo fará um panorama da história do Brasil a partir dessa data, tentando explicar como a democracia teve início e tratando de assuntos atemporais como o machismo, racismo e corrupção. Alguns dos atores que estarão na trama são: Fernanda Torres, Alexandre Nero, Matheus Nachtergaele e Marcos Caruso
O objetivo da série é entender a identidade brasileira, do jeitinho, que culmina em toda essa porcaria que vivemos hoje. Contamos a história através de uma família que vive no Rio de Janeiro, a partir do 7 de setembro de 1822”, revelou Mazzeo. 
Adnet, que não podia perder a alfinetada, perguntou se foi naquela época que havia ocorrido um golpe de estado, e Bruno logo respondeu ironizando “Esse ou o primeiro?”.
Quando comecei a me interessar pelo tema e a ler livros sobre o assunto, percebi que a história se repete em várias questões não só políticas mas também sociais”, explicou.
Mais uma atração que estará na grade da Rede Globo, mas que ainda não foi gravada, é "Zózimo". Adaptado dos quadrinhos "O corno que sabia demais", a comédia aborda a trajetória de um ex-policial que trabalha como detetive particular na década de 50. Estrelando Vladimir Brichta e Airton Graça, a série será dirigida por Maurício Farias e tem Mauro Wilson como autor.

Para terminar o painel Marcius Melhem e Marcelo Adnet falaram sobre as próximas temporadas do "Zorra", indicado ao Emmy após sua reformulação, e "Tá no ar – A TV na TV". Os dois programas de comédia prometem trazer ainda mais referências pop, memes de internet, críticas políticas, sociais e religiosas e sátiras do cotidiano.

Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »