>

Crítica #5 | Filme: Eu Fico Loko


Antes de qualquer ato meu por aqui, penso que para escrever sobre algo, você tenha que ter prioridade daquilo que você vai falar certo? Perfeito.

Tive a oportunidade de participar do junket do filme “Eu Fico Loko” e assisti-lo, filme este que conta a história do fenômeno Christian Figueiredo, com direção e roteiro de Bruno Garotti e por tal feito, fui incumbido de fazer uma resenha sobre o longa. Acontece que devido o filme ser baseado no livro de mesmo nome, também do youtuber, me senti na obrigação de ler o livro, para ter a tal propriedade das coisas que eu comentei. Vamos lá!

O livro lançado em 2015 pela editora Novo Conceito conta a histórias da vida de Christian, sua infância, adolescência e seus dramas escolares. Pode-se dizer que a cada capítulo, temos um micro conto isolado da vida dele com uma lição de moral no final. A cada avanço que ele faz, narrando suas histórias, ele comenta e a linguagem que ele utiliza é como se ele tivesse gravando um vídeo, mas ao invés de captar o som em um gravador, ele os escreve. Enfim, a leitura é bem rápida, fluida, engraçada e bem sucinta. Por mais que a leitura seja rápida e resumida, o conteúdo e palpável e inteligível.

Bem, partimos finalmente para o filme, elemento principal deste artigo. Como já dito, o filme é baseado no livro “Eu Fico Loko” de Christian Figueiredo e tem direção de Bruno Garotti, sendo este o primeiro projeto que ele assina como diretor e roteirista principal. O filme tem estreia prevista para 12 de janeiro de 2017.

Para aqueles que leram o livro e vão assistir ao filme imaginando exatamente a história descrita no diário de Christian Figueiredo, é bom estar aberto a mudanças e me arrisco a dizer que não são poucas. Como na maioria dos livros que viraram filme, as obras são baseadas nestes livros, ou seja, elas passam por um processo de adaptação do roteiro por parte do roteirista para que seja uma obra fílmica, com um enredo interessante e coeso, mas ainda com o mesmo espírito do livro, e neste caso não foi diferente. Para não soltar spoilers e acabar com a graça do filme, serei sucinto, assim como o livro. Muitos dos micro contos que no livro são bastante detalhados, no filme são bem caracterizados. Algumas histórias se misturam a outras para fazer um sentido lógico (para o filme, neste caso) e se adota uma cronologia, nada especifica do livro.


Neste filme, a história se desenvolve a partir da complicação em que o personagem de Christian se mete ao mentir dizendo a forma e com quem perdeu seu BV. A história é bem clichê de filme adolescente norte-americano, não que clichê neste caso seja algo ruim, viu! Arriscaria a dizer que tem um toque bem Glee, em que o perdedor, depois de passar por vários obstáculos para ser aceito, começa a ascender socialmente por assumir sua real identidade. A narrativa do filme é super engraçada, com a quebra do que se chama de quarta parede, que é quando, no desenrolar da trama, o próprio Christian aparece e comenta com a plateia sobre a cena que se passa, característica também presente na narrativa do livro.

O filme conta com grandes nomes no elenco, tais como Alessandra Negrini, Marcelo Airoldi e Suely Franco (ela rouba praticamente a cena todas as vezes que aparece). Também conta com atores novos e em ascensão como Giovanna Grigio (Chiquititas), Michel Joelsas (Que horas ela volta?) e Filipe Bragança (Chiquititas).

Para quem quer dar umas risadas, saber como Christian Figueiredo ascendeu à fama ou até mesmo apreciar um filme com grande qualidade técnica (congratulações ao diretor), “Eu Fico Loko” é uma ótima pedida.

Escrito por: Vinicius Andrade
Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »